Senadora Zenaide Maia critica volta a criticar PEC da Venda de Sangue defendida pela Senadora Daniella Ribeiro

Compartilhe essa notícia
Please follow and like us:
YouTube
Instagram

Zenaide que é medica aponta os riscos à saúde e à cultura solidária da população brasileira, alertando para o possível colapso das hemorredes do país

A senadora Zenaide Maia (PSD-RN), profissional da área médica, voltou a expressar sua oposição à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que tramita no Congresso Nacional, e que tem como relatora e defensora a senadora paraibana Daniella Ribeiro (PP), a proposta visa liberar a venda de sangue humano no Brasil e permitir sua exploração pela indústria farmacêutica privada. Em contraposição, a senadora parabenizou o presidente Lula (PT) pelos investimentos significativos de R$ 393 milhões na Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás).

Os recursos destinados à estatal têm como objetivo concluir a fábrica de imunoglobulina, um hemoderivado estratégico utilizado no tratamento de diversas doenças e fundamental para o Ministério da Saúde. Zenaide Maia ressaltou a importância dessa conquista para o país, afirmando que uma Hemobrás autossuficiente em albumina e imunoglobulina possibilitará o acesso universal a tratamentos de saúde. A matéria voltou a ganhar repercussão nacional, nesta sexta-feira (26/01/2024), no site Pimenta Rosa: https://www.jornalpimentarosa.com.br/post/senadora-zenaide-maia-critica-pec-do-plasma-no-congresso

A imunoglobulina, substância presente no plasma do sangue, é vital para repor anticorpos e combater inflamações. Este hemoderivado desempenha um papel crucial no Programa Nacional de Imunodeficiências Primárias. Com a conclusão da fábrica, o Brasil poderá superar desafios na aquisição desse insumo, atendendo à demanda por meio da produção nacional. A Hemobrás, situada em Pernambuco, tem registrado um desempenho econômico-financeiro notável, alcançando um lucro de R$ 326,5 milhões em 2023, superando os números de 2022 em 72,94%. Este sucesso é atribuído à distribuição de medicamentos para o Sistema Único de Saúde (SUS).

Contrária à PEC do Plasma, Zenaide Maia, que é vice-líder do governo no Congresso Nacional, destaca a posição do Executivo, que se opõe à remuneração, compensação ou comercialização na coleta de sangue ou plasma. O governo emitiu uma nota alertando sobre os riscos da PEC 10/2022 e sua possível desestruturação da política nacional de sangue. A senadora enfatiza a mobilização contra a PEC, que tem ganhado força no Congresso e conta com forte lobby do setor farmacêutico privado. Ela questiona a necessidade da proposta diante dos investimentos na Hemobrás e aponta os riscos à saúde e à cultura solidária da população brasileira, alertando para o possível colapso das hemorredes do país.

Em defesa da preservação do instinto solidário e ético da população brasileira em relação à doação de sangue, Zenaide Maia reitera que o sangue humano não é uma mercadoria e destaca a proibição taxativa na Constituição Federal à compra e venda de partes do corpo humano. A parlamentar faz um apelo para que se mantenha a oposição à PEC do Plasma, que, se aprovada, poderá comprometer a saúde e a vida de muitos brasileiros. ‘O sangue humano não mercadoria, não é petróleo, não é soja, não é minério de ferro. A Constituição Federal proibiu taxativamente a compra e venda de partes do corpo humano, incluindo sangue. Esse tipo de mercado incentiva a violação dos princípios éticos mais básicos’, frisa Zenaide.

Redação com site Pimenta Rosa

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial