Explosões atingem comboio de ônibus perto de Aleppo, na Síria

Compartilhe essa notícia

Uma explosão perto de um comboio de ônibus esperando para entrar na cidade síria de Aleppo matou e feriu diversas pessoas neste sábado (15), disseram veículos de imprensa alinhados com o governo, ativistas a favor da oposição e um grupo de monitoramento.

Um veículo de imprensa do Hezbollah, aliado de Damasco, disse que um suicida detonou um carro bomba perto do comboio.

Imagens publicadas pela mídia estatal mostraram o que parecia ser o local após a explosão, com corpos espalhados pelo chão e focos de incêndio com grandes colunas de fumaça negra.

Os ônibus estavam escuros devido à explosão e suas janelas estavam quebradas.

A explosão ocorreu na área de Rashidin, no arredores de Aleppo, onde dezenas de ônibus carregando principalmente moradores xiitas de dois vilarejos estavam sendo evacuados, dentro um acordo entre as partes em guerra, esperando para entrar na cidade.

O britânico Observatório de Direitos Humanos da Síria (OSDH) relatou pelo menos 16 mortes, dizendo que a explosão aparentemente foi provocada por uma bomba.

Nuvem da fumaça preta se levanta de veículos nos arredores de Aleppo, na Síria, neste sábado (15) (Foto: Reuters)Nuvem da fumaça preta se levanta de veículos nos arredores de Aleppo, na Síria, neste sábado (15) (Foto: Reuters)

Nuvem da fumaça preta se levanta de veículos nos arredores de Aleppo, na Síria, neste sábado (15) (Foto: Reuters)

Vítimas esperavam transferência

O suicida estava dirigindo uma caminhonete que transportava ajuda alimentar e detonou o veículo perto dos 75 ônibus estacionados em Rashidin, setor rebelde a oeste da metrópole, de acordo com o OSDH, relatou a agência de notícias France Presse.

Cerca de 5 mil pessoas evacuadas na sexta-feira das cidades de Fua e Kafraya, duas localidades favoráveis ao regime e sitiadas pelos rebeldes, estavam a bordo dos ônibus visados. Um acordo permitiu ainda a evacuação simultânea de duas cidades rebeldes sitiadas pelo regime.

O correspondente da AFP no local viu muitos cadáveres, alguns carbonizados, incluindo crianças, e membros espalhados pelo chão, perto dos ônibus destruídos pela explosão. Ele também viu um grande número de feridos e pessoas em pânico na área onde os ônibus estão estacionados.