Artur para Galdino: “Quer uma filial da oligarquia que instalou em Pocinhos em CG”

Compartilhe essa notícia

No terceiro bloco do debate político, realizado pelo Sistema Correio de Comunicação, entre os candidatos a prefeito de Campina Grande que disputam o pleito deste ano, os ânimos entre os prefeitáveis Artur Almeida (PPS) e Adriano Galdino (PSB) se exaltaram.

A discussão teve inicio quando o candidato Artur Almeida comentou que os grupos políticos tiveram todas as oportunidades que precisavam para fazer algo por Campina Grande e não o fizeram, defendendo que haja uma mudança.

Em seguida, o candidato Adriano Galdino rebateu dizendo que  Artur  tem uma “fala fácil, mas não tem conteúdo”.

– Você vem com discurso decorado. Isso mostra a sua fragilidade, própria de quem só tem fala fácil, mas não tem conteúdo, só tem a casca. Isso é próprio das pessoas que não têm história de vida, próprio das pessoas que estão acostumados a conviver com a elite, com a classe A e classe B – alfinetou Galdino .

Em resposta, Artur afirmou que falta “legitimidade” para Adriano Galdino disputar as eleições na cidade, pois nunca foi eleitor de Campina Grande.

ARTUR BOLINHA

Foto: Paraíbaonline

– Eu nunca compreendi, inclusive, o porquê de sua candidatura em nossa cidade pois lhe falta, a meu ver, legitimidade. Eu posso até criticar essas oligarquias, mas essas oligarquias elas têm, de certa forma, legitimidade para disputar as eleições de nossa cidade. Portanto, o eleitor de Campina Grande não vai aceitar um candidato imposto pelo governador para que queira dominar a nossa cidade – rebateu Artur.

Adriano sugeriu que Artur, que também é conhecido como Bolinha, consulte o dicionário Aurélio, depois de ser questionado de participar de uma “oligarquia” pelo fato de ter sido prefeito três vezes da cidade de Pocinhos, ter elegido seu sobrinho como sucessor e sua esposa ser, atualmente, candidata a prefeita da cidade.

– Candidato Bolinha, primeiro, consulte o Aurélio para que ver o que é a definição de oligarquia. Oligarquia, se você não sabe ,vou lhe ensinar. Primeiro pilar: tem que ter um grupo forte economicamente. Eu vendia confeito no Cine São José em Pocinhos, eu foi garçom, eu acordava 5h da manhã para quebrar açúcar. O outro pilar diz que é tradição política para se formar oligarquia, eu não tenho tradição política não, meus pais e meus avós não eram políticos – falou.

Bolinha, em sua réplica, afirmou que Galdino “quer montar uma filial da oligarquia que instalou em Pocinhos em Campina Grande”.

Ele criticou Adriano Galdino, enquanto presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, por ter se calado durante a crise hídrica da cidade e não reivindicar uma ação enérgica do governo do Estado.

Em sua tréplica, Adriano destacou que quando assumiu a casa Epitácio Pessoa, criou à Frente Parlamentar das Águas e prosseguiu com os debates até o dia de hoje.

FONTE: Da Redação