Pelé e Pepe encerram dia da tocha olímpica na Baixada Santista

Compartilhe essa notícia

A Baixada Santista se despediu da tocha olímpica com uma grande festa na noite desta sexta-feira. Com aproximadamente 1h30 de atraso, o evento foi encerrado na praia do Gonzaga, em Santos, depois de ter Pelé em destaque e com Pepe, ex-ponta e segundo maior artilheiro do Peixe, acendendo a pira improvisada montada no palco principal.

Em seguida, o fogo foi transportado para uma lanterna de segurança, onde fica guardado e permanentemente aceso para seguir desbravando o país até a cerimônia de abertura dos Jogos do Rio de Janeiro.

Após passar por Praia Grande, enfrentar muitos protestos em São Vicente, que inclusive fizeram a rota ser alterada, iniciar seu trajeto em Santos, até chegar ao Guarujá pelas mãos de Adriano de Souza, o Mineirinho, campeão mundial de surfe em 2015, o tocha retornou a Santos para finalizar seus 25 km na cidade.

Nesta segunda parte, o evento teve dois momentos auges. Primeiro envolvendo o maior atleta de todos os tempos e principal referência esportiva da cidade de Santos: Pelé. Depois de ser levada no histórico bonde até a Paço Municipal, o tocha foi conduzida até o Museu Pelé, no centro. Lá, o Rei do Futebol a esperava.

Da varanda do espaço que guarda suas memórias, com muita dificuldade para se manter em pé e se movimentar em função de seus problemas de saúde, Edson Arantes do Nascimento ergueu o objeto símbolo dos Jogos e acenou ao público, que o aplaudiu efusivamente.

O fato de não ter dado sequer um passo com a tocha olímpica em punho faz com que Pelé siga como forte candidato a entrar de vez para a história dos Jogos Olímpicos. O comitê Rio-2016 ainda não divulgou qual atleta terá a incumbência e o privilégio de carregar a tocha até a pira oficial dos Jogos, que ficará no estádio do Maracanã durante todo o período de competições.

Mas, nesta sexta, o Comitê fez questão de esclarecer: “Pelé não chegou a conduzir a chama olímpica, ficou ali na sacada mesmo, ovacionado em Santos!”, escrever em suas redes sociais.

Pelo regulamento dos Jogos Olímpicos, os condutores só podem participar do revezamento apenas uma vez. Sendo assim, muitos atletas renomados já estão descartados para o momento mais especial. Pelé, não. O Rei segue como principal candidato, mesmo que o mistério igualmente continue.

Pepe foi o responsável por ascender a pira olímpica improvisada na praia do Gonzaga (Foto: Tiago Salazar)
Pepe foi o responsável por ascender a pira olímpica improvisada na praia do Gonzaga (Foto: Tiago Salazar)

E para fechar o longo dia, Pepe recebeu das mãos de Caio Ribeiro, outro ex-atleta do Santos, esse com uma carreira mais modesta, a tocha olímpica. O ‘canhão da Vila’, como é conhecido, teve o prazer de fechar o revezamento acendendo a pira olímpica improvisada na cidade.

“Muito feliz por esse momento na minha cidade. Agradeço a todos, santistas, corintianos, palmeirenses e são-paulino. Satisfação imensa. Estou muito emocionado. Não tenho palavras. Estou realmente emocionado. Obrigado a todos vocês, de coração. Viva a tocha, viva a Santos”, disse Pepe, 81 anos, à multidão que o ovacionava.

“Prazer enorme estar aqui. Escolhi Santos por ter vivido três ótimos anos nessa cidade. Pepe, você merece. Representa a cidade e o clube. Você é um dos maiores ídolos do nosso esporte”, falou Caio, também no palco. “Amo essa cidade e fui muito feliz no Santos. Obrigado por me receberem tão bem”, completou o ex-atacante, que teve de dividir a atenção com um grupo de manifestantes que gritava “Fora, Temer” ininterruptamente em referência ao atual presidente do república.

Ao todo, 226 pessoas conduziram a tocha olímpica na Baixada Santista. 112 só em Santos. Neste sábado, o revezamento continua em Guarulhos, São Caetano, Santo André e São Bernardo, na grande São Paulo, quando 192 condutores terão a honra de carregar o símbolo dos Jogos Olímpicos.

FONTE: Da Redação com Gazeta Net