Com torcida raposeira, “mistão” do Santa Cruz encara o Vasco na Copa do Brasil

Compartilhe essa notícia

O Santa Cruz é o Campinense, hoje, na Copa do Brasil.

Essa é a frase que não vai sair da cabeça dos raposeiros até o apito final de Santa x Vasco, logo mais, às 21h45, no Arruda, em Recife, jogo de volta da terceira fase do torneio nacional.

As mágoas serão, pelo menos momentaneamente, deixadas de lado. O torcedor da Raposa terá que esquecer o revés na final da Copa do Nordeste.

É que, se os pernambucanos conseguirem a classificação, o Rubro-Negro de Campina Grande vai ficar com a vaga nordestina na Copa Sul-Americana de 2016, o que seria um feito inédito para o Campinense e pro futebol paraibano de uma maneira geral.

Seria a primeira vez que um representante do Estado participaria de uma competição de caráter internacional, embora a sua fase inicial seja regionalizada (joga contra times brasileiros).

Para isso acontecer, o Santa precisa de um empate sem gols com o Vasco ou vitória por qualquer placar para se garantir nas oitavas de final da Copa do Brasil.

O placar de 1 a 1, o mesmo da ida, em São Januário, leva a decisão para as cobranças de pênalti. Igualdade no marcador de 2 a 2 em diante serve para o time carioca avançar.

Pré-jogo 

Quando resultados não vieram na Série A, o elenco do Santa Cruz chegou a ser taxado como limitado.

Não só em termos de quantidade, mas também em qualidade. Agora mais encorpado após a vinda de reforços e recuperação clínica de atletas, o grupo pode confirmar que já se livrou desses conceitos.

Às 21h45 desta quarta-feira, no Arruda, novamente um time repleto de reservas enfrenta o Vasco, agora pelo segundo duelo da terceira fase da Copa do Brasil. Na partida de ida, em São Januário, o “mistão” coral, com apenas quatro titulares, empatou em 1 a 1.

Resta saber se esta equipe será capaz de repetir a boa atuação do Rio de Janeiro e garantir, no Recife, a classificação às oitavas de final.

A diretoria do Santa Cruz e o treinador preferem a Copa do Brasil em relação à Sul-Americana (visto que, se passar do Vasco, o Tricolor não participa da edição 2016 da competição continental).

A decisão de escalar outra vez uma equipe cheia de suplentes sustenta-se ainda na alegação de priorizar a permanência na Série A em detrimento de qualquer campeonato “secundário”.

O técnico coral, Milton Mendes, por sinal, também não enxerga a Sula com bons olhos neste momento para o clube e por isso também ressalta a importância de seguir no torneio nacional.

– Será que temos um plantel para estar em uma competição internacional? Será que nós temos um grupo para fazer uma viagem internacional, ir, voltar e jogar o Campeonato Brasileiro? Disputei a Sul-Americana pelo Atlético-PR (em 2015) e demanda muita coisa: viagens, dias viajando. Não é assim tão simples quanto parece – argumentou.

Mendes, ironicamente, confia neste seu elenco e no time misto que vai acionar (ao qual prefere denominar como “time dos que jogadores que têm menos oportunidades”) para desbancar o Vasco e não ter que lidar com o “fardo” da Sul-Americana.

Segundo ele, pelo que viu no jogo em São Januário, dispõe de atletas capazes de levar o Santa pela oitava vez às oitavas de final do torneio.

– Todos os nossos jogadores sabem exatamente o que têm que fazer. Isso faz com que a gente tenha um DNA nosso dentro de campo – disse.

Ciente da vantagem, Milton Mendes tem os seus métodos para desbancar a equipe carioca. Rechaça uma retranca, contudo aprova uma postura mais prudente do time coral.

– Às vezes a estratégia é baixar as linhas e jogar no contra-ataque. Estamos jogando um mata-mata de 180 minutos. Estamos na frente – pontuou.

Escalação

Mendes confirmou que irá utilizar um time com vários reservas, porém não detalhou como será esta escalação. Certo é que Bruno Moraes será titular. Apesar de Grafite estar suspenso da próxima rodada da Série A, será resguardado e deixará a missão de comandar o ataque coral com o “General”, vice-artilheiro do Tricolor na Copa do Brasil e autor de todos os quatro gols do time na competição. Quem está vetado é Wellington Cézar, com uma tendinite no joelho.

Vasco

O técnico Jorginho tem uma baixa considerável para a partida decisiva no estádio do Arruda. Principal nome do time, artilheiro da Série B e ídolo da torcida, o meia Nenê sofreu uma lesão de grau 1 na coxa, sequer viajou para o Recife e desfalca a equipe cruzmaltina.

O substituto do veterano ainda é uma incógnita. Yago Pikachu e Evander são cotados para a vaga. Desde quando Nenê chegou no Gigante da Colina, no ano passado, a equipe carioca mantém uma escrita: nunca venceu sem ele em campo.

Prováveis escalações

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Vítor, Wellington, Danny Morais e Tiago Costa; Derley, Marcílio, Leandrinho e Lelê; Marion e Bruno Moraes. Técnico: Milton Mendes.

Vasco: 
Martín Silva; Madson, Luan, Rodrigo e Júlio César; Marcelo Mattos, Henrique, Andrezinho e Yago Pikachu (Evander); Leandrão e Jorge Henrique. Técnico: Jorginho.

Arbitragem
: Igor Junior Benevenuto (MG); Marcus Vinícius Gomes (MG) e Flávio Gomes Barroca (RN).

Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (arquibancada inferior/visitantes), R$ 5 (arquibancada superior) e R$ 15 (sócios).

 

Curiosidade: Santa Cruz  tem 100% de aproveitamento em “mata-mata” em 2016

Copa do Nordeste

Quartas de final
Santa Cruz 2 x 1 Ceará – Arruda
Ceará 0 x 1 Santa Cruz – Arena Castelão

Semifinais
Santa Cruz 2 x 2 Bahia – Arruda
Bahia 0 x 1 Santa Cruz – Arena Fonte Nova

Final

Santa Cruz 2 x 1 Campinense – Arruda
Campinense 1 x 1 Santa Cruz – Amigão

Pernambucano

Semifinais
Santa Cruz 3 x 1 Náutico – Arruda
Náutico 1 x 2 Santa Cruz – Arena Pernambuco

Final
Santa Cruz 1 x 0 Sport – Arruda
Sport 0 x 0 Santa Cruz – Ilha do Retiro

Copa do Brasil

Primeira fase
*Rio Branco-ES 0 x 1 Santa Cruz – Estádio Kléber Andrade
Santa Cruz 0 x 0 Rio Branco-ES – Arruda

*sob o comando de Marcelo Martelotte

Segunda fase

*Vitória da Conquista 0 x 2 Santa Cruz – Estádio Lomanto Júnior

* placar de 2 a 0 eliminou o jogo da volta

*Com SuperEsportes/PE