Cida Ramos critica prefeitura de João Pessoa em plenária no Cruz das Armas

Compartilhe essa notícia

A pré-candidata à Prefeitura de João Pessoa, Cida Ramos, em reunião com lideranças comunitárias no bairro de Cruz das Armas, destacou que é preciso voltar o olhar para os que mais precisam.

Após ouvir as queixas da população, Cida constatou que a região é carente de políticas púbicas básicas, como investimentos em pavimentação e iluminação das ruas.

“Tenho encontrado nessas reuniões muito apoio de pessoas com vontade de ver mudanças na cidade de João Pessoa, que está abandonada pelo atual prefeito. A realidade de hoje são ruas cheias de buracos, sem pavimentação. Muitas delas constam na prefeitura como calçadas, quando na realidade não são.  Temos que investigar isso, saber o porquê da discrepância entre o que diz o prefeito e o que dizem as ruas. Hoje a gestão municipal não consegue sequer trocar uma lâmpada de poste, muitos moradores precisam fazer abaixo-assinado para se investir em iluminação pública. É por isso e por tanto que o povo defende a mudança”, destacou Cida Ramos.

A pré-candidata do PSB destacou ainda a necessidade de melhorar o transporte coletivo da capital.

 

“É preciso exigir a troca da frota todo ano, como Ricardo Coutinho fazia quando prefeito, porque isso é respeitar os que dependem de transporte. O prefeito não conhece mais sua cidade, suas pernas nem seu coração estão em sintonia com a população. Hoje não temos ruas pavimentadas, mobilidade urbana, mulheres passam mais de um ano para fazer um simples exame de mama. É um prefeito que prometeu muito, mas que sumiu depois das eleições”.

A jovem Danyely de Oliveira, estudante do curso de Enfermagem, revelou que as ruas na sua área não têm iluminação adequada, o que facilita assaltos.

“Aqui próximo à Rua Silvino Montenegro tem um terreno baldio que na prefeitura consta que está reservado para a construção de uma praça, mas até agora não foi construída. As ruas estão escuras, com postes sem lâmpadas, muito perigoso para a gente que anda sozinha, voltando da universidade ou do trabalho. O nosso bairro carece de atividades esportivas e culturais para dar mais dignidade aos jovens. As quatro USFs aqui não têm médico nem medicação.”, lamentou.

FONTE: Da Redação com Ascom