Ex-governador cobrava 5% de propina e ´mesada´ antecipada

Compartilhe essa notícia

Em depoimento à Operação Lava-Jato, dois ex-executivos da empreiteira Andrade Gutierrez que fizeram delação premiada disseram que o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) exigia 5% de propina em troca de contratos de obras como a reforma do Maracanã, o Arco Metropolitano e a urbanização de favelas de Manguinhos.

Segundo o “Jornal Nacional”, da Rede Globo, Rogério de Sá contou que Cabral recebeu mesada de R$ 350 mil por projetos futuros, que ainda não tinham contrato, mas não soube precisar em que período.

O ex-governador, em nota, se disse indignado e afirmou que manteve apenas relações institucionais com a construtora.