Protestos contra impeachment param ônibus, trens e rodovias na Paraíba

Compartilhe essa notícia

Manifestantes contrários ao impeachment da presidente Dilma Rousseff fecharam nas primeiras horas desta terça-feira (10) a garagem da empresa de ônibus Unitrans, que presta o serviço de transporte público, no bairro do José Américo, em João Pessoa, bloquearam dois trechos da BR-230, nos dois sentidos da rodovia federal que liga a capital paraibana ao interior do estado, e interditaram as linhas de trens nas estações da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) em João Pessoa e em Santa Rita. A via Acesso Oeste, em João Pessoa, também foi bloqueada no início da manhã desta terça.

Os manifestantes que bloquearam a garagem da Unitrans permitiram inicialmente a saída de apenas 10 veículos para atender os passageiros. De acordo com a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob), o portão da garagem de ônibus foi liberada às 8h22 desta terça-feira. A CBTU informou que as estações foram liberadas e os trens urbanos de João Pessoa voltaram a circular às 10h10 desta terça-feira.

Em nota, a Unitrans informou que lamenta os transtornos causados aos seus passageiros no início da manhã desta terça-feira até as 8h30, causados em função do protesto realizado por movimentos sociais em frente a garagem, impedindo a saída e entrada dos ônibus escalados para a realização das respectivas viagens. “Por outro lado, informamos que o protesto constou tão somente na interdição da garagem, portanto sem violência nem danos ao patrimônio das empresas. Por fim, feliz pelo retorno à normalidade, com a liberação da garagem às 8h30, reitera seu compromisso de bem servir à população da cidade de João Pessoa e seus passageiros”.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) confirmou no início da manhã que dois pontos da BR-230, em João Pessoa e em Campina Grande, estão interditados. Às 9h, o trecho no km 35 na divisa dos municípios de Bayeux e Santa Rita, na Grande João Pessoa, havia sido parcialmente liberada, com o fluxo seguindo pelo acostamento da rodovia. Segundo a PRF, a limpeza a lavagem da via estava sendo realizada no trecho na saída de João Pessoa. Por sua vez, o bloqueio no km 148, na entrada de Campina Grande, foi liberada às 8h59.

De acordo com a Semob, por volta das 10h56 os manifestantes interditaram o trecho do anel da lagoa do Parque Solón de Lucena, no Centro de João Pessoa. O órgão informa que até as 11h40 o acesso dos ônibus às plataformas da lagoa estava interditado pelos manifestantes. O trânsito no local estava sendo desviado por agentes da Semob pela avenida Eurípedes Tavares.

Segundo informações do movimento Frente Brasil Popular, responsável por convocar os protestos, rodovias nas cidades de Sumé, Patos e Sousa também foram fechadas. No entanto, a PRF informou que não houve registro de interdição em nenhuma rodovia nos municípios do interior da Paráiba citados pelos manifestantes. Além da Frente Brasil Popular, as manifestações têm a participação da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e sindicatos. O movimento não informou estimativa de manifestantes.

De acordo com a assessoria da Frente Brasil Popular, as manifestações são para propor uma reflexão a respeito da situação política e econômica do Brasil. Ainda de acordo com o movimento, protestos são pontuais e têm horas específicas para acabar.

Protestos em Campina Grande
Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Campina Grande duas rodovias federais foram interditadas. Na BR-230 os manifestantes fecharam a entrada e saída para o litoral paraibano, próximo a avenida Brasília. Por conta do bloqueio alguns motoristas usaram a contramão da rodovia para fugir do congestionamento.