Coluna FIEP: Lançamento da Expopão; Fiscalização do Trabalho; Direto da CNI

Compartilhe essa notícia

 LANÇAMENTO DA EXPOPÃO 2017

Na última sexta-feira, 6 de outubro, aconteceu o tradicional Café da Manhã com a imprensa, que marca o lançamento oficial da V ExpoPão, um dos maiores eventos da panificação, realizado anualmente pelo Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria de Campina Grande (SINDIPAN/CG), Associação dos Industriais de Panificação, Confeitaria, Massas Alimentícias e Afins do Estado da Paraíba (ASPANEP) e Sistema FIEP, com o apoio de vários parceiros, indispensáveis para os sucessos consecutivos que a cada ano ultrapassam metas. Na ocasião os mais relevantes veículos de comunicação estiveram presentes e prestigiaram o lançamento da V ExpoPão.

A atuação filantrópica dos organizadores esteve presente por meio da doação de 500 pães para instituições de caridade, tais como o Instituto São Vicente de Paulo, Casa do Menino, Casa da Criança Dr. João Moura, Casa de Apoio à Criança com Câncer, Lar da Sagrada Face, Nosso Lar, Hospital da FAP, APAE, Centro de Recuperação Homens de Cristo e outras. A V ExpoPão reúne empresários do setor de panificação entre os dias 25 a 27 de outubro, na FIEP. Os participantes terão ótimas oportunidades de fazer novos negócios e conhecer maquinários modernos e que otimizam o processo produtivo. Para maiores informações os interessados podem entrar em contato por meio dos telefones (83)3099 1010/3099 1010/3099 1010 ou acessar o site do evento: www.expopao.com.br

 DIRETO DA CNI

AL

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O emprego industrial permaneceu estável no mês de agosto, a massa salarial real teve aumento de 0,2% e as horas trabalhadas na produção também subiram 0,2%. Além disso, o rendimento médio real foi 1,2% maior do que o mês anterior e a utilização da capacidade instalada ficou 0,3 ponto percentual acima de julho. O único indicador a cair foi o faturamento da indústria, com queda de 1%. Estes são os dados da pesquisa Indicadores Industriais de agosto, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) na terça-feira (3). De acordo com o estudo, a tendência de recuperação apontada na edição da pesquisa em julho prossegue em agosto, mas perdeu um pouco de força, principalmente devido à queda do faturamento industrial, que manteve a trajetória recente de variações positivas e negativas.

Em agosto deste ano, o faturamento foi 4,5% superior ao registrado em agosto do ano passado. No entanto, o acumulado no ano é negativo em 3,5%. A massa salarial real paga pela indústria aumentou 0,2% em agosto. O percentual é maior se comparado com o mesmo mês do ano passado, quando o avanço foi de 2,2%, mas entre janeiro e agosto o indicador mostra queda de 2,3%. Apesar do emprego ter permanecido estável na passagem de julho para agosto, o indicador mostra que, nos primeiros oito meses do ano, o emprego industrial diminuiu 3,6% se comparado com janeiro a agosto do ano passado.
FISCALIZAÇÃO DO TRABALHO

 

Fiscalização do Trabalho

As fiscalizações recorrentes que são feitas nas indústrias precisam atender critérios e satisfazer as exigências dos fiscais e nem sempre a documentação e os dados solicitados estão à disposição ou organizados de forma adequada. Visando orientar os seus sindicalizados a Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), por meio do Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA), realizou na última quinta-feira (5) um curso com o tema: Como Atender a Fiscalização do Trabalho. O tema é de grande importância, tendo em vista as novas reformas na legislação trabalhista.

O curso foi ministrado pelo Consultor da CNI, Marcelo Pinto Carvalho, advogado empresarial, com atuação nas áreas Trabalhista e Tributária. Marcelo é pós-graduado em Direito Tributário pela Universidade Metodista de Piracicaba – UNIMEP, Especialista em Prática Forense Trabalhista pela Escola Superior de Advocacia da Ordem dos Advogados do Brasil, Seção de São Paulo, entre outros títulos de igual importância. Para informações sobre as próximas ações do PDA os interessados podem entrar em contato com seu Sindicato ou ligar para o telefone (83) 2101 5322.

  TRÊS PONTOS

I – A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou setembro com alta de 0,16% ante um avanço de 0,19% em agosto, informou na sexta-feira, 6, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado em setembro fez a inflação acumulada em 12 meses voltar a subir. Passou de 2,46% em agosto para 2,54% em setembro e foi o primeiro avanço na taxa em 12 meses desde agosto de 2016. A taxa de inflação acumulada de janeiro a setembro de 2017 foi de 1,78%, sendo a mais baixa para o período desde 1998, quando ficou em 1,42%. (Estadão)

II – O Ministério da Fazenda avalia recomendar o veto a alguns pontos do Refis que foram incluídos durante a votação no Congresso Nacional. Após meses de arrastada negociação entre parlamentares da base aliada e governo, o programa de parcelamento de dívidas tributárias assumidas com o fisco foi aprovado no Senado, em votação simbólica, na quinta-feira (5). Senadores retiraram do texto emendas aprovadas de última hora na Câmara dos Deputados e que não faziam parte do acordo com a Fazenda. Entre as inserções inesperadas, estava o perdão de dívidas de igrejas e de instituições de ensino vocacional. (Folha de São Paulo)

III – Depois de cinco reduções seguidas, o preço do diesel volta a subir 0,5% amanhã (6). Já o preço da gasolina se mantém em baixa desde o dia 29 do mês passado, acumulando retração de 7%. O novo reajuste definido pela Petrobras para esse combustível, de menos 0,7%, entra em vigor também nesta sexta-feira. Considerando os reajustes para cima e para baixo observados desde o dia 30 de setembro, o preço do diesel às distribuidoras caiu 6,7%. A mudança na política de preços dos combustíveis passou a ser adotada pela Petrobras no início de julho nas refinarias. Desde então, os preços da gasolina e do diesel estão sendo alterados, às vezes, de um dia para o outro. (EBC)

Da Redação com Assessoria