Assembleia Legislativa mantém foco em João Pessoa e nos interesses do Estado

Compartilhe essa notícia

A atuação da Assembleia Legislativa da Paraíba, instalada a 05 de abril de 1835, está indissoluvelmente ligada à história da Capital, que hoje completa 432 anos de fundação, e à história do Estado, que já foi a Província da Parahyba do Norte em priscas eras.

A Capital passou por várias denominações, de Felipéia de Nossa Senhora das Neves a Frederica, passando a se chamar João Pessoa a partir da década de 1930 no bojo de episódio marcante que foi o assassinato do então presidente do Estado, João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque.

É indispensável o foco do Poder Legislativo na Capital por ser a célula-máter entre os municípios que compõem o universo geográfico deste território, mas é um foco simultâneo nos interesses da Paraíba, já que há uma simbiose nos objetivos comuns de desenvolvimento, bem-estar e melhoria da qualidade de vida da população.

Nos 432 anos de João Pessoa, o presidente da Assembleia, deputado Gervásio Maia parabenizou os moradores da capital. “A Assembleia Legislativa da Paraíba saúda a população de João Pessoa, estendendo esta mensagem ao povo paraibano, reafirmando compromissos de se tornar cada vez mais solidária e antenada com os pleitos que acionam os motores para um processo de desenvolvimento contínuo”, ressaltou Gervásio.

Conquanto o Poder Executivo tenha importância extraordinária por dele emanarem as graves e relevantes decisões envolvendo os destinos dos habitantes paraibanos e, também, tenha o Poder Judiciário outro pólo de transcendência, na condição de árbitro de conflitos, de mediação de interesses eventualmente colididos, é o Legislativo, indiscutivelmente, a caixa de ressonância maior, o tambor cívico pelo qual escoam as reivindicações populares legítimas, as demandas de segmentos sociais variados, que são condensadas e bafejadas com o sinete da autenticidade, aptas a serem convertidas em Leis.

Em momentos de crise ou de ruptura institucional, o Poder Legislativo tem papel imprescindível na regulação das situações conflituosas, formando o amálgama do consenso que perdurará para o equilíbrio das instituições e o pleno funcionamento do regime democrático.

De acordo com o presidente da Casa, na Paraíba, a Assembleia Legislativa abriga na sua representação todos os segmentos da sociedade, seja porque é o terreno fértil e adequado para o entrechoque de ideias, de onde nascem as soluções, o aperfeiçoamento da sociedade, o bom funcionamento dos Poderes republicanos como um todo.

“A Assembleia Legislativa da Paraíba tem procurado estar à altura dos desafios históricos que lhe são apresentados. E na atual gestão, mantém fidelidade máxima aos preceitos que o próprio povo exige, guardando sintonia fina com o que é decidido no âmbito dos Poderes na Capital, escoando as pulsações advindas do interior deste Estado, de todas as regiões”, finalizou Gervásio Maia.