Lula comenta pela 1ª vez interferência dos EUA no golpe treinando juízes e MPF

Compartilhe essa notícia

Em entrevista exclusiva ao publisher da Revista NORDESTE, jornalista Walter Santos, Lula fez uma ampla avaliação dos problemas sociais, políticos e econômicos vividos desde 1808, quando a Família Real não quis ficar em Salvador, então Capital do País, migrando para o Rio de Janeiro, gerando fosso social gritante. “A Família Real levou as Salas para o Rio e deixou a Senzala no Nordeste”, avalia o ex-presidente.

Ele ainda analisa o papel do Brasil na Geopolítica Internacional a partir de seu Governo, em 2002, optando pelo Mercosul e BRICS recusando a ALCA – Mercado Latino Americano imposto pelos EUA. “Eu era doido para brigar com o Bush, mas ele nunca quis”, afirmou, lembrando que na crise da Bomba Atômica do Irã, ele e a Turquia tiveram papel preponderante no acordo de Paz.

Lula também fala dos graves problemas éticos vividos por ele e o Partido dos Trabalhadores diante dos desvios constatados na Petrobras envolvendo as cúpulas do PMDB, PSDB, em especial o presidente Michel Temer e toda a cúpula peemedebista. O ex-presidente comentou ainda as acusações em curso de que todo o Golpe a partir do Impeachment de Dilma Rousseff foi conduzido pela Secretaria dos EUA treinando juízes e membros do Ministério Público Federal para o processo em curso.

Confira a edição na íntegra da revista, lançada neste domingo, clicando aqui

Veja o trecho em que o ex-presidente comenta sobre a interferência dos EUA:

Revista Nordeste