Vice-prefeito de JP desmente que tenha sido denunciado em processo da PGR

Compartilhe essa notícia

Foi divulgado na imprensa paraibana, nesta terça-feira, 27, que o ex-deputado federal e atual vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior, teria sido citado em denúncia do procurador Geral da República, Rodrigo Janot, a respeito do presidente Michel Temer.

Em resposta, Manoel Júnior disse que isso não passava de uma confusão de interpretação e o nome foi apenas citado em um anexo do processo, devido a um pedido de investigação do Grupo Schahin, que tinha dado um golpe no sistema financeiro.

– Fui membro da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados e como deputado tinha a função de fiscalizar crimes financeiros. O meu nome está lá porque há quase dois anos, enquanto parlamentar, fiz dois requerimentos de audiência pública, convocando o Ministério Público, Polícia Federal, Banco Central e o BMG, que era o adquirente do grupo Chain, que tinha dado um trambique financeiro no sistema. Um dos requerimentos não foi aprovado e no outro foi chamado o presidente do Banco Central, na época, que prestou esclarecimentos para o MP e para a PF investigar aquele crime. Por conta desses dois requerimentos, o procurador instou meu nome nesse processo. Se tivesse que fazer de novo eu faria, porque se não fizesse estaria prevaricando e aquela era minha função – explicou.

O vice-prefeito disse estar tranquilo, pois tem conhecimento que a Paraíba sabe de sua vida política.

Ele disse que diante dos 1.800 nomes de políticos que teriam recebido propina da JBS, o nome dele não aparece nenhuma vez e que sempre teve suas contas aprovadas enquanto foi prefeito, por três vezes, da cidade de Pedras de Fogo.

– Não fui parte da denúncia – enfatizou.