Associação de Comerciantes do Parque do Povo vai à Justiça contra mudanças no São João

Compartilhe essa notícia

O presidente da Associação dos Comerciantes do Parque do Povo, Lucinei Cavalcante, comunicou preocupações com relação às novas mudanças e adaptações desta edição do São João. Entre as maiores preocupações estão o novo sistema para compra de bebidas e novo horário para fechamento das barracas.

“Algumas dessas mudanças a gente não sabe como vai funcionar na prática de tão complicadas que são. O horário, pela primeiras vez, teremos horário para fechar. Será meia hora depois do fim do show, aí temos que nos organizar. Foi passado isso pela PM e pela empresa organizadora. Como vai ser? Qual a imagem que a festa vai passar para o turista? é uma medida complicada. A multa é R$100 mil caso não seja cumprida qualquer cláusula do contrato”, disse Lucinei.

Sobre a entrada de bebidas no Parque do Povo, o presidente da associação demonstrou preocupação sobre a variedade e o preço da bebidas.

“A gente propõe que tenha liberdade para comprar em qualquer distribuidor até porque tem comerciantes com relação comerciais de anos anteriores desde que seja a marca do patrocinador. Esse ano haverá três depósitos fornecendo bebidas, mas nem tudo o que é patrocinado, o folião quer beber. Até água mine de 20 litros vai ser ofertada no depósito. A gente questiona essa variedade e a capacidade de atendimento e com preços de mercado. A gente espera que seja preço de mercado e vamos orientar para que o melhor preço seja praticado. Pedimos que essa crta do patrocina seja feito, mas as demais bebidas a gente possa trazer de fora”, argumentou.