Verador pessoense: “Houve excesso da imprensa nacional na publicização dos fatos”

Compartilhe essa notícia

Para o vereador Lucas de Brito (PSL) houve excesso da imprensa nacional ao publicizar os fatos como se já fossem uma condenação dos citados na Lista do ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, na qual constam nomes de políticos paraibanos, a exemplo do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e do ministro Vital do Rego Filho.

“Isso é apenas a instauração de um inquérito, o que significa o início de uma investigação. Se as informações foram confirmadas ou não, só o tempo dirá. Antes disso, não é possível criminalizar ninguém”, avaliou.

Conforme o parlamentar, nestes termos, acabam sendo misturados pessoas que estão condenadas pelo Juiz federal Sérgio Moro através da Operação Lava Jato com quem está apenas tendo o inquérito aberto, que são situações completamente distintas, mas quando se divulga na mídia sem explicitar os fatos para o público menos esclarecidos, as pessoas vão achar que é tudo “farinha do mesmo saco”, ressaltou.

“Há indícios de irregularidades e eles precisam ser apurados, mas é preciso ter em mente que não se trata de uma ação penal condenatória. Esses inquéritos podem ser arquivados porque não é possível condenar ninguém pelo simples fato da abertura de inquérito. E depois, se houver condenação existe, o contraditório e ampla defesa para serem observados”, completou.