Comandante do 2°BPM nega retirada de policiamento no Terminal de Integração

Compartilhe essa notícia

Após denúncias de aumento de violência no Terminal de Integração e o incidente em que um estudante foi baleado no local, o comandante do 2° Batalhão de Polícia Militar de Campina Grande, tenente-coronel Lamark, amenizou os ocorridos e disse que os índices de violência foram diminuídos.

Ele desmentiu que o policiamento foi retirado do Terminal, bem como da rodoviária velha e da antiga Ceasa, afirmando que o que houve foi uma mudança no formato da segurança.

– Gostaria de informar que não houve a retirada de policiamento em lugar algum. Apenas houve uma mudança na aplicação do policiamento. É muito complicado ficarem falando em retirada. O policiamento que antes ficava fixo no Terminal de Integração cuida, hoje, de toda aquela área, assim como acontece com a Empasa e a rodoviária. Não houve subtração alguma de policiamento, pelo contrário, há uma intensificação– pontuou.

Lamark ainda destacou que houve uma redução de 90% nos índices de ocorrências no Terminal de Integração, reforçando que o que aconteceu com o estudante, baleado nessa segunda-feira, 27, foi um “incidente”.

– Na última reunião do Conselho de Segurança, foi falado, inclusive, sobre isso de que a redução das ocorrências no Terminal de integração gira em torno de 90%. Isso é um registro do próprio Terminal. Infelizmente, no dia de ontem, aconteceu um incidente. Nós gostaríamos que fosse risco zero, mas isso não é possível, pois a natureza humana ele tende à maldade. Não sabemos os detalhes do que motivaram o crime, porque o acusado não foi preso. Foi um disparo ocorrido da parte externa da Integração e que veio atingir por duas vezes o rapaz, recém-chegado do Rio de Janeiro. Os detalhes ainda não sabemos, qual a motivação ou se foi direcionado ou não – relatou.

A autoridade policial ainda ressaltou que a população pode ficar tranquila, pois o policiamento está sendo mantida de forma maciça em todos os locais de Campina Grande e cidades circunvizinhas.