Açude Camalaú chega a mais de 6% da capacidade

Compartilhe essa notícia

As águas da transposição do rio São Francisco estão abastecendo o açude Camalaú, que fica localizado na cidade de mesmo nome, no Cariri paraibano.

Segundo a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), na manhã desta quinta-feira (23), o reservatório estava com quase 3 milhões de metros cúbicos, o que equivale a 6,2% da sua capacidade máxima (48 milhões).

O Governo do Estado e o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) estão realizando ações para acelerar o deslocamento das águas de Camalaú para o açude Epitácio Pessoa, na cidade de Boqueirão.

“Estamos atuando em várias frentes, temos equipes fazendo obras no açude Camalaú e limpando o leito do rio Paraíba, tudo para agilizar o escoamento. Só a Aesa tem mais de 10 profissionais na região do Cariri cuidando para que as águas do São Francisco cheguem o quanto antes ao açude Epitácio Pessoa”, informou o presidente da Aesa, João Fernandes da Silva.

Técnicos da Aesa também estão cadastrando usuários, instalando Plataformas de Coleta de Dados e fiscalizando a retirada de água entre as cidades de Monteiro e Camalaú.

Moradores ribeirinhos estão sendo orientados sobre a necessidade de permitir o fluxo normal da água.

“Não admitiremos construções de cercas transversais no leito do rio, pequenas barragens ou qualquer outro impedimento. A água só poderá ser usada para consumo humano e animal”, alertou João Fernandes.

Foto: camalauinformado.com

As águas do Velho Chico chegaram à Paraíba pelo eixo Leste da transposição pelo estado de Pernambuco no dia 8 de março.

No dia 10, na cidade de Monteiro, foi aberta a comporta que liberou a água na direção dos açudes São José, Poções e Camalaú.

Com 217 quilômetros de canais, este eixo Leste foi projetado para ampliar a oferta hídrica e garantir abastecimento a cerca de 4,5 milhões de pessoas em 168 municípios nos estados de Pernambuco e da Paraíba.

É composto por seis estações de bombeamento, cinco aquedutos, um túnel, uma adutora e 12 reservatórios – estruturas que cruzam os municípios pernambucanos de Floresta, Betânia, Custódia e Sertânia até chegar a Monteiro (PB).