Cagepa espera águas do “Velho Chico” para repensar racionamento

Compartilhe essa notícia

O gerente regional da Cagepa, Ronaldo Meneses, explicou que a expectativa era de que as águas da transposição do rio São Francisco chegassem ao Açude Epitácio Pessoa no final de abril deste ano.

Porém, a Aesa fará medições para ter uma previsão mais precisa da chegada das águas ao manancial.

 

Ronaldo se pronunciou sobre o racionamento e o momento que o abastecimento do município de Campina Grande voltará ao normal.

– Hoje, estamos usando o volume morto do manancial, ou seja, aquele volume intangível. Começamos a utilizar esse volume morto no dia 18 de julho de 2016, quando começamos a distribuir por zona. Naquela época o açude estava bem próximo a 34 milhões de metros cúbicos. Então, podemos pensar em sair do racionamento quando o manancial atingir os 34 milhões de metros cúbicos, porque quando tiver com este volume, vamos poder puxar com as bombas flutuantes e com a tomada de fundo. Enquanto isso, continua normalmente o racionamento aos moldes do que está hoje – destacou.

Além disso, ele informou que a companhia na última semana realizou coletas da água do Velho Chico, em alguns pontos, para analisar a qualidade e suas características.

– Eu ainda não tive acesso aos resultados, porque tem análises que demoram semanas. Mas acredito, sim, que a água detém boa qualidade e dá para tratar tranquilamente. O que precisamos saber também são características que ela vai trazer do São Francisco que não tínhamos ainda – concluiu.