Medalha concedida a Lula e Dilma gera polêmica na Assembleia

Compartilhe essa notícia

Os deputados aprovaram, durante a sessão desta quarta-feira (15), dois requerimentos de concessões de medalhas de honra ao mérito aos ex-presidentes da República, Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva, ambos do PT.

A honraria será entregue no próximo domingo (19), por ocasião da visita que farão às obras de transposição do eixo Leste no município de Monteiro.

A medalha, outorgada pelo deputado petista Frei Anastácio a Lula, foi aprovada com a abstenção de cinco votos e 26 deputados votaram favoráveis.

Já a medalha proposta a Dilma Rousseff , pela deputada Estela Bezerra (PSB),  foi aprovada por 24 votos. Os deputados Bruno Cunha Lima (PSDB) e Arnaldo Monteiro não votaram.

Os deputados da bancada do PSDB, Tovar Correia Lima e Camila Toscano, Renato Gadelha e Guilherme Almeida, ambos do PSC, e Janduhy Carneiro (Podemos) se abstiveram de votar.

Quando da abertura em defesa de seus posicionamentos, o deputado Ricardo Barbosa (PSB) disse que só votava favorável em respeito à orientação partidária, mas que a sua convicção era totalmente divergente e se fosse para reconhecer a todos os envolvidos na obra da transposição das águas do Rio São Francisco para a Paraíba, que começasse pelo ex-ministro Fernando Catão.

O tucano Bruno Cunha Lima achou estranho que toda a bancada governista estivesse em Plenário para votar dois requerimentos, quando na Casa há matérias muito mais importantes e a bancada tem se ausentado.

“De certo estão somente obedecendo às ordens do chefe do Executivo, que quer fazer do Poder Legislativo a extensão do Palácio da Redenção”, disse.

O deputado disse ainda que a ex-presidente Dilma Rousseff não merecia receber a medalha por não ter feito muito pela conclusão da obras.

“Ela teve muito tempo para dar andamento e não o fez. Por que não conceder também a honraria ao presidente Michel Temer que concluiu o projeto?”, indagou.

O deputado Raniery Paulino (PMD), ao discutir o mérito da matéria, lembrou do nome do ex-senador Marcondes Gadelha (PSC).

Ele disse também estranhar o interesse do governador Ricardo Coutinho em aprovar as medalhas, uma vez que, já foi um grande censurador de Dilma e que nunca votou nos candidatos do PT.

“Acredito que essa homenagem a Lula é pelos méritos de retirar do papel essa grande obra. Essa medalha é tão meritória ao ex-presidente como seria também para o ex-senador Marcondes Gadelha, que foi o primeiro paraibano que tratou desse assunto. Ele foi um visionário e proponho a ele uma medalha por este mérito e que o mesmo rito processual seja dado, porque ele é merecedor”, enfatizou.

Os deputados Estela Bezerra e Frei Anastácio não chegaram a discutir o mérito dos requerimentos, mas a deputada leu a justificativa da outorga e destacou que dentre tantos argumentos apresentados e de benfeitorias que fizeram ao país, a região Nordeste e a Paraíba, principalmente, ressaltam a contribuição para o início da obra dando parecer pela aprovação.