Paulinho da Viola sobre música que inspirou enredo da Portela

Compartilhe essa notícia

O sambista Paulinho da Viola falou em entrevista à TV Globo sobre a Portela, campeã do carnaval carioca, ter usado a sua música “Foi um rio que passou em minha vida” como inspiração para o enredo que deu o título à escola, após 33 anos em jejum.

“Eu fico muito feliz e honrado com essa referência. Na verdade, o enredo tratava de rios do mundo, tinha esse samba, de repente, foi um motivo de inspiração[…]. É uma coisa me honra e eu fiquei muito feliz com isso. Eu continuo dizendo que o mérito é da turma que desfilou, que desenvolveu o enredo e que fez um enredo como pretendia, que era tratar dos rios do mundo. Era o rio Portela e os rios do mundo. Isso que é legal”, disse Paulinho da Viola.

O compositor também disse que acompanhou a apuração e parabenizou os companheiros da escola que fizeram um belíssimo desfile.

“Quero parabenizar os meus companheiros. Na verdade, todo mérito desse desfile, essa vitória, eu acho que tem que ser creditada a pessoas como Monarco, Velha Guarda, como essa turma que segurou essa barra aí. Todos sabem que esses anos todos que a Portela vem lutando pra reconquistar o espaço. Isso que aconteceu hoje foi uma vitória. Eu estou muito feliz”, comemorou.

Portela é a campeã após 33 anos de jejum

A Portela quebrou um jejum de 33 anos e é a grande campeã do carnaval do Rio de 2017. No segundo ano com o carnavalesco Paulo Barros, a escola de Madureira desfilou na avenida as lendas dos rios. Agora com 22 títulos, a Portela é a escola que mais vezes foi campeã. A Mocidade ficou em segundo lugar.

Quadra da Portela fica lotada com comemoração pelo título (Foto: Alexandre Durão / G1)Quadra da Portela fica lotada com comemoração pelo título (Foto: Alexandre Durão / G1)

Quadra da Portela fica lotada com comemoração pelo título (Foto: Alexandre Durão / G1)

Com o título, a festa tomou conta da escola de samba em Madureira, que ficou lotada ainda à tarde durante a apuração. A festa aumentou no bairro após o título da Série A do vizinho Império Serrano. As ruas ficaram completamente lotadas.

Assim que foi proclamada a campeã, Luis Carlos Magalhães, presidente da agremiação, sacramentou o fim do jejum. “Acabou essa história”.

Baluarte da escola, Tia Surica prometeu feijoada em dobro para celebrar o título. “Eu tô chorando de alegria! E vou tomar todas!”, garantiu.

Teve festa também na casa do cantor e portelense Zeca Pagodinho, que abriu uma exceção à cerveja postou um vídeo abrindo champanhe em sua cobertura na Barra da Tijuca – na Sapucaí, com a camisa da escola, ele brindou com cerveja mesmo antes do desfile.

Por volta de 20h, chegou a haver tumulto na porta da quadra. Uma pessoa desmaiada foi colocada numa viatura policial e houve empurra-empurra.