Aparecida, no Sertão da Paraíba, compra água de poço para carros pipa

Compartilhe essa notícia

Sem água nas torneiras desde o fim do mês de dezembro por causa de uma colapso no abastecimento, a prefeitura de Aparecida, no Sertão paraibano, está comprando água de poços e distribuindo em carros-pipa para a população. A cidade tem pouco mais de 8 mil habitantes e fica a 422 quilômetros da capital, João Pessoa. No início de janeiro, a prefeitura decretou estado de emergência na cidade.

O município era abastecido pela água do complexoCoremas/Mãe D’água, que seguia pelo Canal da Redenção até Aparecida. Entretanto, de acordo com a Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (Cagepa), o nível dos mananciais baixou tanto que a água não consegue mais fazer o trajeto por gravidade.

Com a pouca oferta, ainda nas madrugadas, as famílias já formam filas na cidade para receber a água que chega através de carro-pipa. “Eu uso essa água pra tomar banho, pra cozinhar, pra lavar louça. Só não presta para beber”, diz a apostada Rita Fernandes.

Disputa por água
A cidade está com quatro pontos de distribuição de água. Na lavanderia pública, por exemplo, pela manhã um carro-pipa deixa 12 mil litros de água e pela tarde deixa outros 12 mil litros. Por isso é comum que alguns moradores voltem para suas casas sem conseguir pegar água. “Sempre que eu chego aqui a cena é essa. Alguns dias têm mais gente”, disse o pipeiro José Ailton, que leva água para a comunidade.

Para conseguir um dos primeiros lugares na fila para pegar água, o pedreiro Francisco de Assis acorda cedo e mesmo assim precisa voltar outras vezes para conseguir uma quantidade suficiente. “A gente faz quatro viagens no máximo. É o que dá. Quando vem mais de um caminhão-pipa, aí dá pra colocar mais. Mas quando vem um só, é muita gente”, disse ele.

Qualidade questionada
A água oferecida preocupa a população, que teme usar para beber. “Ela é salobra. Eu tomei e me deu dor de barriga”, disse aposentada Rita Fernandes. Entretanto, a gestão municipal que paga pela água e pelos carros-pipa garante que a qualidade da água é adeuada.

“Solicitamos o laboratório da Cagepa para fazer análises da água dos dois mananciais, fizeram a análise e constatamos que a água é própria para o consumo e começamos a distribuir. Recomendamos também à família que ferva e filtre essa água para consumir”, disse o secretário de Agricultura de Aparecida, Antônio Nascimento.

A Cagepa ainda não informou se tem um segundo plano para abastecer a população. Enquanto isso, a população economiza ao máximo. “Lava a louça na bacia, uma água pra tirar o grosso da louça e outra para enxaguar. Essa água que a gente enxágua, já junta em um balde para dar descarga no vaso sanitário. Uma seca como essa eu nunca tinha visto não; 72 anos de idade e nunca tinha visto”, disse a aposentada Marta Pereira.