Manoel Junior fala em “humilhações” e uso do PMDB

Compartilhe essa notícia

Ov PMDB da Paraíba volta a protagonizar uma queda de braço em virtude dos posicionamentos distintos dos seus filiados em relação às eleições. Integrante da ala peemedebista que rechaça uma aliança com o governador Ricardo Coutinho (PSB), o vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Junior afirmou, nesta sexta-feira (13), que o partido foi humilhado por Coutinho e não pode ser “usado” por lideranças.

“Dentro do PMDB não tem rebelião, mas se fosse no PSB teria, porque só uma pessoa comanda. No PMDB tudo que é contraponto é de forma democrática discutida”, rebateu o vice-prefeito.

Ciente da eminente confronto, o presidente da legenda, senador José Maranhão, convocou uma reunião da sigla para o próximo dia 20.

“É lá o fórum apropriado para a gente discutir as questões políticas do partido, quem tá certo e quem está errado. Eu acho que estamos no caminho certo, primeiro, pelas humilhações que o PMDB passou na condição de apoiador da reeleição de Ricardo Coutinho e segundo: a rua já sinalizou que a aliança certa foi a que a gente fez aqui. Nós vencemos em João Pessoa”, avaliou.

Enquanto a ala pró-Ricardo fala em fortalecimento do PMDB, os filiados que rechaçam a aliança com o governador apostam na resposta da população e acreditam estar do lado certo.

Membro do grupo liderado pelo senador Raimundo Lira, o deputado federal André Amaral negou qualquer intenção de “tomar” o comando do partido de José Maranhão. Para ele, o partido possui grande capacidade de regeneração e deve ser protagonista em 2018.