Presidente da Cagepa: “Plano B para Campina é a transposição”

Compartilhe essa notícia

O presidente da Cagepa, Marcus Vinícius, em entrevista concedida na manhã desta quinta-feira (3), falou sobre a crise hídrica que assola Campina Grande e as cidades abastecidas pelo açude Epitácio Pessoa (Boqueirão).

Segundo Marcus, não há alternativa que amenize o sofrimento da população, que já passa por racionamento d’água há vários meses.

 

– Não existe plano B. O plano B é a transposição do rio São Francisco. O plano A é a chuva – declarou.

Entretanto, o gestor garantiu que a transposição chegará ao açude de Boqueirão no próximo ano, no tempo previsto pelo governo federal, e que a cidade não ficará sem água.

– Não há motivos para não acreditar que a transposição não será concluída. Tenho feito visitas e a obra está fluindo normalmente. Confio no prazo estimado pelo governo – afirmou.

Marcus aconselhou que o melhor a se fazer agora é unir forças para passar por esse momento de crise. O açude de Boqueirão, segundo estudos da Cagepa, vai aguentar abastecer a população até abril de 2017.

Ele também comentou sobre a ação da Prefeitura Municipal de Campina Grande (PMCG) que pede a construção em caráter de urgência de uma adutora de engate rápido para a cidade.

Para Marcus, uma adutora não pode ser considerada como salvação. O presidente alegou, inclusive, que nas melhores previsões, ela não poderia ser construída em menos de 8 meses. A ação da PMCG pede a adutora dentro de 60 dias.