Agricultora morre no Sertão por demora na medicação contra câncer

Compartilhe essa notícia

Um agricultora do município de Pombal, Sertão da Paraíba, faleceu na manhã desta quinta-feira, 21, vítima do estado avançado de um câncer de mama. Roselita de Farias tinha 48 anos e sofria com a doença há algum tempo.

Segundo a família, o fato poderia não ter terminado desta forma se a Secretaria de Saúde da cidade e a Secretaria de Estado da Saúde, tivessem cumprido o mandato judicial há dois meses. O mesmo teria sido emitido por três vezes e nenhum dos órgãos teria cumprido.

De acordo com os médicos, 17 doses combinadas de dois medicamentos poderiam ter impedido o avanço da doença. Por não terem condições financeiras de comprar a medicação, a família entrou na justiça.

Roselita recebeu o medicamento neste mês de abril, após esperar dois meses pelo remédio.

Após o falecimento, a família informou que vai processar a Secretaria de Saúde de Pombal e a do Estado e pedir na Justiça a execução das multas por descumprimento das decisões judiciais e, ainda, indenização por danos morais.

A Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Saúde, justificou que a demora do medicamento se deu pelo processo burocrático, pois o remédio não se encontra na lista do SUS e é necessário fazer pesquisa de preço, cotação, licitação e depois a realização da compra.

Já a assessoria da Prefeitura de Pombal deu a mesma justificativa do Estado e disse que lamenta o ocorrido.

Com informações da TV Paraíba